Histórico

 

Núcleo Opaje nasce com o Grupo de Pesquisa do CNPq “Observatório de Pesquisas Aplicadas ao Jornalismo e ao Ensino”, institucionalizado em 2013 com lastro no Curso de Comunicação Social/Jornalismo da UFT.

Devido às diversas atividades de ensino, pesquisa e extensão, o grupo de pesquisa Opaje reconstitui-se migrando para um Núcleo de Pesquisa e Extensão, com maior autonomia. Em dezembro de 2014, o Núcleo de Pesquisa e Extensão “Observatório de Pesquisas Aplicadas ao Jornalismo e ao Ensino” criado pela Resolução Consepe nº 23 de 16 de dezembro de 2014.

Núcleo Opaje agregou-se em 2014  a Rede Nacional de Observatórios de Imprensa (Renoi), com foco na crítica de mídia e no monitoramento de coberturas jornalísticas, além das ações de formação da área Comunicação, Jornalismo e Educação.

Em 2015, o Opaje ingressa na Rede Internacional de Pesquisadores sobre Bolonha / International Researchers Network for Bologna (Rebol) que foi criada como instrumento facilitador e promotor de pesquisas, além de produzir, articular e socializar conhecimentos de pesquisadores de diferentes países, objetivando ampliar e aprofundar experiências em pesquisa com foco no Processo de Bolonha.

No mesmo ano, tivemos a aprovação via editais do CNPq e Capes de pesquisas em rede. A pesquisa “Implementação do quadro de qualificações europeu na formação e no ensino de Comunicação Social e Jornalismo: estudo das estratégias de aplicação em Portugal” com financiamento do CNPq-Edital Universal; a pesquisa “Análise da cooperação entre organizações sociais alemãs e brasileiras para a promoção do ensino em comunidades tradicionais amazônicas” desenvolvida pela Unesp em co-participação do Opaje-UFT e  a pessquisa “Imprensa e modernidade na Amazônia brasileira (1821-1921)” desenvolvida pela UFRR em co-participação do Opaje-UFT, financiada pelo CNPq edital universal.

E começamos um novo capítulo de produção acadêmica com a criação da Revista Observatório. Trata-se  de um periódico quadrimestral, com foco na discussão acadêmica e em estudos interdisciplinares avançados no campo da Comunicação, do Jornalismo e da Educação. A revista nasce internacionalizada, possuindo editores no Brasil, Cabo Verde, Moçambique e Portugal. Recebe em fluxo contínuo, textos em português, espanhol e inglês para as seções artigos, dossiê temático, ensaios, entrevista, resenha e temas livres.

Pesquisar OpenEdition Search

Você sera redirecionado para OpenEdition Search